TRIBUTO A TORQUATO NETO




hoje que você se foi
e ninguém pode negar
o que está feito,
as palavras guardadas no peito

são flores navalhas
no chão do real
e um poeta conhece
o tamanho da fúria
capaz de gerar um furor
que as palavras são flor e punhal.

hoje que você se foi
e o tempo de chorar
também já foi-se embora
no verde final da nossa flora,
as palavras são flores de fogo.
e um poeta conhece o tamanho do verso
capaz de abolir o acaso,
que as palavras são lances de dardos.

hoje que você se foi
os bois que berravam na chapada
viraram sócios do açougue.
as mídias e os midas de sempre
silen$ifraram a nossa dor.
e neste cenário de real pavor,
como num lance de touradas,
o troféu é entregue ao matador.



Salgado Maranhão
em Punhos da Serpente
Achiamé: Rio de Janeiro, 1989

Nenhum comentário:

acompanhe por e-mail