Banda Fragmentos de Metrópole




Notícias do cajueiro que fica por cima dos ensaios da Banda Fragmentos de Metrópole

Ei pega um caju pra mim? Pra falar de algumas frutas. O Fernando é como um caju de vez, aquele bem verdim, um pouco gordim, marrom meno maduro, mas que nunca cai do pé. O Alexandre é aquele caju de dentro de uma garrafa de cachaça das boas, todo mundo pensa que aquele caju tá podre, mas na verdade é nele que tá toda a poesia da cachaça e só experimenta daquele caju quem tem muita coragem. A castanha desses dois caju (sem plural, não quero jus!): É a Basquitrícia, aquela castanha que foi torrada no meio do sol quente de Teresina, mas que só ela tem o sabor da arte quando degustada. Pra quem não sabe essa banda surgiu na estação dos cajus de Teresina! A estação passou e esse cajus continuam sem cair do cajueiro. Um abraço em todos os Fragmentos. Por enquanto descrevo 2 cajus letristas da banda, depois falarei de outras frutas.

Alan Sampaio
sexta-feira, 14 de dezembro de 2007
via caixinhadefosforofotografica

acompanhe por e-mail