POESIA MANIPULADA TERESINA




No Porenquanto,
a Lua é um farol
de um avião doido
que vem contramão,
céu azul em nós velozes
a fim de aviar esta ação:
um poema em gotas
pra nos-remediar as vozes.



Luiz Filho de Oliveira
em Deleitura

Nenhum comentário:

acompanhe por e-mail