TERESINA NA DISTÂNCIA




O rio
   palhoças nos beirais
      pavios de castiçais
         anos cinquenta

Teresina
   dos incêndios corriqueiros
      - lamúrias ao vento

Vermelha Tabuleta
   Palha de Arroz ou Barrinha
      na faísca mortal
         da fênix

Bairros pobres
   do puxa-encollhe
       ancas nas ruas
          e a vida porre
              a escorrer pelo rio

O tempo andou devagar
   Depois das enchentes
      gente de todo lugar
Ah! - que a primavera não tarde
   para as perdizes transparentes



Hélio Soares Pereira
em Passarela de escritores (coletânea)
Teresina: Edições Jacurutu, 1997

Nenhum comentário:

acompanhe por e-mail