NA CURVA DA ESQUINA




Na curva da esquina a vida é calma
E é urgentemente necessário gritar bem alto
A nossa maturidade.
Na curva da esquina a vida é calma
Mas é urgentemente necessário ter coragem de quebrar a imagem do santo.
Na curva da esquina a vida é calma
Mas é urgentemente necessário não ter medo da orfandade.
Na curva da esquina a vida é calma
Mas é urgentemente necessário fazer a curva da esquina
E amar como homem
Não como discípulo.
É necessário dobrar a esquina da revolta e
Ser matéria, simplesmente matéria, nada mais do que matéria.
É urgentemente necessário amar a mulher nua.
Não a imagem de Deus.
É urgentemente necessário dobrar a curva da esquina
Porque só na curva da esquina a vida é calma.


                             (Este poema é pré-Gramma.
                             Foi escrito em 68, eu tinha 17 anos, e até hoje é inédito)



Paulo José Cunha
em Livreto do XXXIX Sarau Lítero-Musical Ágora
Teresina, Agosto de 2010

Nenhum comentário:

acompanhe por e-mail