MENINO DE RUA




Em flagrante denúncia,
aquela criança sem teto,
sem nome, sem pai...
com saltos mortais
escreve sua história,
enquanto banha despida
nas águas poluídas
das fontes luminosas.



V. de Araújo
em POESIA TERESINENSE HOJE
Teresina: FCMC, 1988

Nenhum comentário:

acompanhe por e-mail