SOLUÇÃO




Quando um verso muito antigo de repente traz a tona nossa historia
Quando a tela numa noite dessas pinta em poucas cores nosso tempo atrás
Quando a chuva rala lava o chão de asfalto e a cidade iluminada respira

Quando a página do livro me confirma me relembra o que fomos
Quando as luzes do cinema com o tempo se confundem com os sonhos
Quando o riso largo vaza tento agarrar e sei que esse riso não é meu

Dente por dente          
rasgo o cartão postal
Olho no olho            
homem de pouca fé
Tudo desaba saio de casa assim            
o piso arranca toda a sola do pé
Olho por olho              
assisto um coração
Volto a perguntar            
onde haverá você?
Num rastro de sol sem luz pode ser
Na soma de meus azuis pode ser que sim pode ser

Espero e perco o bonde o trem o rumo a condução

Sigo em frente sinto que caminho fora do mundo por alguns segundos do cortejo
Volto pro chão tudo normal mas sempre encontro tempo pra tristeza
Aquela marca ficou na parede
Aí não tive chance de esquecer
Eu organizo nosso movimento
Dentro da lembrança
Aquela marca que desenha a trança
Parece bem mais viva do que eu, e digo
Um canto novo nasceu mas quem que vai cantar comigo?
Não tem solução



(...)



Canção do segundo LP da Guardia. Gravado entre 2014 e 2015 por Jan Pablo e Cavalcante Veras na Canis Vulgaris Records. Produzido por Jan Pablo e Cavalcante Veras. Mixado e Masterizado na Canis Vulgaris Records por Jan Pablo.



Guardia / Imperfei (2015)
Jan Pablo e Cavalcante Veras
Canis Vulgaris Records

Nenhum comentário:

acompanhe por e-mail