O CAIS DO RIO




o cais do rio
                      é
                      dos timoneiros
                      das lavadeiras
                      dos bêbados
                      dos poetas
                      e
das putas da paissandu
(o cais do rio
se deixa possuir por todos
em suas entranhas)

no cais do rio
as putas da paissandu
(como o esperma dos homens
que as possuem a qualquer hora)
constroem seus cemitérios particulares.



Kenard Kruel
O Rio: Antologia Poética
Teresina: Edições Corisco, 1980

3 comentários:

Kenard Kruel disse...

obrigado pela postagem do meu poema. esse livro deve ter uma nova edição. foi lançado pelo cineas santos na coroa do parnaíba e, como o rio parnaíba, foi minguando, minguando e deu no que deu. esgotado. não sei onde esse menino foi buscar o rio, antologia poética corisquiana. fico muito feliz quando me lembram que também sou poeta. kenard kruel.

Poeta Elmar Carvalho disse...

Um pequeno/GRANDE poema. Peço permissão ao Rodrigo e ao Kenard Kruel para publicá-lo em meu blog. Aproveito para dizer que o portal A Musa Esquecida está tirando do esquecimento muitos poemas de qualidade, que já estavam esquecidos até, talvez, pelo próprio autor.Valeu!

Rodrigo M Leite disse...

A permissão é toda do Kenard Kruel, Elmar. E ele, mais do que ninguém, apoia.

acompanhe por e-mail