TERESINA


                                para Luis Romero


Procuro meu rosto
desgarrado em tuas vias;
caminho sob os oitis
da Praça da Bandeira
(que me não viram chegar
numa manhã de domingo)
com a solidão no calcanhar.

(Ali, ao sol de novembro
em que assinei sem saber
o preço da poesia).

Procuro de porta
em porta
(onde vendi sonho a crédito)
tuas ínfimas impressões
no intraduzível ontem.

Procuro por toda a parte,
no aroma dos quintais,
no desenredo das ruas,
nos espelhos desarmados,
essa íntima refulgência
com que forjaste meu caule.



Salgado Maranhão

Nenhum comentário:

acompanhe por e-mail