PRÉDIOS INTEIROS DE ERGUE NO CÉU DA TUA BOCA I




cada verso deflagrado
escorre avenida, esgotos
todo personagem que escolho
respinga delírio, asfalto
monstros disfarçados
paradas de ônibus
bêbados ensaiando passos marabalizados.
poças de neon brilham no asfalto preto
cidade refletida respinga
na cara, língua desliza
lama, desejo
beijo a cidade, deliciada
atropelada pelas chuvas de janeiro.



Renata Flávia
enviado pela autora

Nenhum comentário:

acompanhe por e-mail