CENTRO NORTE




no puta boteco para os rumos do verdão
o tempo está parado em um relógio sem pilhas
a vida ferrugem do balcão no fim
aos poucos sendo vencida

os velhos não se olham mais nos olhos
nas paredes mulheres desbotadas com garrafas de catuaba guaracy
fazem moças sexo ágil de fora
perderem o sentido

a alma do bar está acesa
em uma lata de sardinha com querosene
o coração dos homens lá dentro
vai sem muita pressa



em A Cidade Frita
Teresina: 2013, versão atualizada

acompanhe por e-mail