O GUARDADOR DE PORTÕES




Numa cidade qualquer
alguém vestindo preto segura os portões
uma história sem nenhum pavor
se uma cidade ainda tem portões

Durante a noite alguém voa por cima das igrejas velhas
por cima das casas velhas
por cima das cadeias velhas
por cima das escolas velhas
por cima dos cabarés velhos
por cima de tudo

                Tudo é velho
como uma sombra escondendo a manhã

apenas um grito novo
se resguarda

e solta a porta das palavras.



Rubervam Du Nascimento
Antologia poética das cidades brasileiras
Christina Oiticica (coordenadora)
Shogun editora e arte LTDA.: Rio de Janeiro, 1986

Nenhum comentário:

acompanhe por e-mail