HOMENS DE BRONZE




por que esse homem
vestido de bronze
na avenida central
em pleno meio-dia
não reclama de nada
sequer do calor do sol

o que ele olha
algum esqueleto no céu
não sabe ao certo
cegou antes
ao aceitar o posto
de vigia da noite

não me pergunte
o que eu acho
dos donos desta cidade
vestidos de bronze
que não mais se movem
nem para fugir do sol



Rubervam Du Nascimento
em TERESINA: Um Olhar Poético
Teresina: FCMC, 2010
Organização de Salgado Maranhão

Nenhum comentário:

acompanhe por e-mail