RÉQUIEM


ao artista plástico amaral


no natal de 1967, conheci carlitos
numa vesperal, no cine rex.

descobri na agilidade
dos gestos frágeis
e no expressivo abismo dos olhos inquietos
que meu povo haveria de conquistar
terras, arados, sementes,
livros, couro, linho.

(ratazanas cinza, medrosas buscavam a penumbra
detrás das velhas cortinas de veludo grená)

no natal de 1977, carlitos inventou
mais uma pantomia
e encarapitado no dorso de um potro negro
partiu, para recuperar o tempo esquecido.



Paulo Machado
em "ta pronto seu lobo?"
Edições Corisco: Teresina, 2002 (2ª edição)

Nenhum comentário:

acompanhe por e-mail