TERESINA




A cidade é pequenina,
mas o sonho é imenso,
feito o rio mais extenso,
que nos banha e nos fascina.

Ao dobrar de cada esquina,
sob o céu que nos socorre,
cada rua que nos percorre
para o bairro a que se destina.

Barcos que, sob pontes,
conduzem também destinos,
homens, iguais a meninos,
são afluentes e fontes.

Nas veias correm também
veios de luz, raios vivos,
os rios passando altivos
são rios de querer bem.

No bulício da quermesse,
o calor que desatina,
o coração de Teresina
é o sol que nos aquece.



Laerte Magalhães
Um ponto fora da curva 
Teresina: 2007

Nenhum comentário:

acompanhe por e-mail