BUSCA




caminho pelas ruas de minha cidade
pesa sobre mim o sol de outubro
não tenho pressa nem medo:
conheço todos os becos
__________________atalhos
______________________& riscos
a cidade está vazia de emoções e sustos:
nenhum rastro não conhecido
nenhum crime não consentido
nenhum desejo não controlado
a tarde flui lenta e pegajosa
e o coração alheio a tudo insiste:
busca você

ah meu coração - descarrilhado trem
meu coração é sempre o último a compreender

crimes amarelam nos jornais
desfolham-se girassóis aflitos
pardais tecem a improvável primavera
e a tarde é um convite ao
____________________p
____________________r
____________________e
____________________c
____________________i
____________________p
____________________í
____________________c
____________________i
____________________o

a cidade se veste de noite
navalhas passeiam no ar:
a morte espreita ferofascinante
e o coração alheio a tudo insiste:
busca você
ah meu coração - bandoleiro kamikase
meu coração é sempre o último a compreender

vagueio pelas ruas de minha cidade
e não as reconheço
e não me reconheço
desa (r) mado avesso só
e o coração alheio a tudo insiste
nessa busca - quase desespero
como quem procura reatar o gozo
interrompido entre o flagrante e o tiro
a morte bafeja a noite
e um anjo decaído sentencia:
- é tempo de sofrer sofrer e mais sofrer
até que o corpo frio extenuado
se exorcize de qualquer desejo
e o coração alheio a tudo...



em Miudezas em geral 
Teresina: Livraria e Editora Corisco ltda, 1986

Nenhum comentário:

acompanhe por e-mail