O TERROR DA VERMELHA




a) - um filme é feito de dois planos:
a b c: um plano depois do outro
depois do outro depois do outro
depois do outro - planos. não é
feito de cenas, rapaziada - cineclube.

1 plano é 1 plano, porquanto
montagem é, ante sempre
montagem é, antesempre, uma análise
de planos. e mais soma/divisão
multiplicação/subtração. certo disso.
dziga vertov, citado por godard em
inglês: ...montar um filme antes
da filmagem, montar um filme durante
a filmagem, montar um filme depois
da filmagem.

b) - fotografar ontem, guardar
(SAUSÂDRADE)
fui a teresina pelo início de
junho (sanatório meduna), entrei
em contato com os rapazes que
haviam feito o jornal gramma e
partimos para um superoito de
metragem média que resultou neste
O TERROR DA VERMELHA (ou
qual outro nome escolherem). o
material filmado percorria
aceidentalmente acidentalmente
um fio de acontecimento, matéria
de memória de uma sópessoa em
equipe percorrendo roteiro de
lugares, quintais, paisagens-
plano geral
paisagens-planos-gerai,
distância. a cidade transformada
retornada transformada em
EM TRANSFORMAÇÃO. o jôgo
(from navilouca) VIR/VER/OU/VIR
etc (AQUI/ALI), títulos subtítulos
versos pontuação: TEXTO-LEGENDA,
ora ocupando totalmente o
fotograma ora
precisamente ilustrando-o
"sur-place", como
palavra-cenário (luiz otávio), e
também (galvão em OU),
palavracontradestaque, como
destaque (waly) na dança da
herondina. nove cassetes filmados,
filme ektachrome kodak.

c) - em seguida à versificação de
variadas férteis possibilidades
de edição (montagem), optou-se por
stanley donen. não há explicações
recomendáveis claras para a
escolha: pereceu-nos simplesmente
a mais NATURAL, CONCRETA, no
pensamento da transação com imagem
(e som): em movimento como forma de
narração concreta precisa necessária,
satisfatória. idade eletrõnica. mais
evidentemente, o
tempo/contratempo/contraoambo,
produção execução e a guerra,
(ONE PLUS ONE), godard, o filme das
famílias, televisão, cinemascope,
escambal, o diabo a 4.

d) - edmar (oliveira) o superstar
principal. mais: conceição, herondina
claudette, juçara, adélia maria,
dona salomé, livramento, etim,
paulo josé, durvalino filho, edmilson,
pereira, geraldo cabeludo, dr. heli,
galvão, joão clímaco d'almeida e
transeuntes. além de arnaldo.
arnaldo fez a maior grande parte da
câmera.

[1972]



Torquato Neto
Gramma, número 2
Teresina, 1972

Nenhum comentário:

acompanhe por e-mail